REVIEW: SENSE - LYCHEE CANDY

A Lychee Candy é o 3º sabor lançado pela marca Sense, que surgiu no mercado em 2021. Esse sabor também é conhecido por ser desenvolvido em parceria com o influenciador Eduardo Macário. A proposta desenvolvida pela marca vem para ser uma bala de lichia, um sabor praticamente inexplorado dentro do mercado brasileiro de narguilés.


Conforme o padrão do site, a review a seguir tentará ser o mais impessoal possível, seguindo os critérios de avaliação da essência de uma forma mais técnica avaliando a experiência em si, afinal, gosto é algo muito particular.


Conforme o padrão de tabaco da Sense, este sabor também apresenta a composição em tabaco Virgínia, com corte pequeno e folhas muito picotadas, e melaço mais úmido. Devido o padrão de corte com a densidade mais aquosa do melaço, a essência possui um aspecto mais pastoso, o que facilita bastante o manuseio e o preparo do rosh, visto que a essência fica muito homogênea. Foi encontrado alguns galhos, mas muito pequenos devido o estilo de corte da marca.



Em relação ao cheiro, foi uma coisa que me deixou um pouco confuso, pois a sensação que eu tive é de que o cheiro é similar ao de uma essência de framboesa, porém, com um toque cítrico e azedinho. Devido essa surpresa, inclusive cheguei a comparar com o cheiro de uma essência de framboesa de outra marca, e mesmo após alguns minutos tentando reconhecer algo, ainda mantive minha impressão.


Para realizar esse teste de comparação da fidelidade da proposta, eu comprei a bala de lichia japonesa da marca Kasugai. De acordo com o Du Macário, a própria proposta da essência era ser fiel a essa proposta, então decidi comparar da forma como foi pensada para testar.

E a sensação que tive em relação ao sabor na verdade foi muito similar ao cheiro. Ela tem gosto adocicado de bala, mas o sabor é muito mais parecido com uma bala de framboesa do que a de lichia em si. A diferença é que existe um toque cítrico na essência, que acaba quebrando o adocicado da bala. Além disso, há a presença de um menthol moderado, que deixa o sabor gelado sem agredir a garganta.


O sabor da lichia tem um gosto característico, que na bala mencionada é possível de ser sentido em menor intensidade, mas que não é tão presente na essência.


É uma essência que eu recomendo para teste para qualquer pessoa devido a diversidade de sensações que a sessão proporciona. Ela tem elementos adocicados, tem elementos cítricos, mas também tem elementos mentolados. É um equilíbrio interessante entre todos os sabores, que vale a pena o teste.


O volume de fumaça foi alto e bastante satisfatório durante toda a sessão.


Ela possui uma boa resistência ao calor, que não precisa de muita supervisão. Retirei a terceira peça de calor com 16 minutos de sessão após ela fazer todo o cozimento e chegar no pico de intensidade de calor, e retornei ela em torno de 35 minutos. O que segue o padrão de todas as essências anteriores que cheguei a testar.


A sessão toda durou 52 minutos dentro das minhas condições, e apesar de ainda haver calor do carvão para continuar, e o volume de fumaça se manter satisfatório, o sabor da essência houve uma queda natural, ainda que não houvesse nenhum sinal de queima. Optei por encerrar o teste por conta apenas do sabor.


O rosh foi preparado com um tabaco um pouco mais prensado, porém em um rosh econômico com 14 gramas de essência. Possivelmente com roshs um pouco mais fundos, é possível manter sessões mais longas.


O setup utilizado nesta review:


- Narguilé: Sultan Mani Venom

- Rosh: Mono Hookah

- Alumínio: X Hookah

- Carvão: 3 peças Estork

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo